Use a Ancient Sword

domingo, 7 de abril de 2013

sotc terra de confusões:ceifador cinza 19

(Topo do Shrine of Worship-Realidade)

Nomad estava na beira olhando para o horizonte,seus braços estavam com alguns ferimentos,suas pernas enfaixadas e sua face cheia de arranhões.Durante vários minutos esteve testando a altura que poderia suportar e até agora não havia descobrido.Deu alguns passos para trás,correu para frente e deu um largo salto,sua silhueta logo sumindo no horizonte.

Nomad:``Gerônimoooooooooooooo´´!!!!!

(Coliseu-Mente de Icon)

O ceifador observava em silêncio as imagens passando no fundo do grande ``balde´´.Ele viu Darlan correndo na direção de ``Mono´´ mas antes de fazerem contato a imagem mudou novamente.Denise via o gigante portão do sul se fechando,do outro lado HHH olhava receoso.

HHH:Tem certeza?-a visão escureceu de novo.

Denise:Tenho...

HHH:Ele deve estar no Oeste,precisa chegar antes dela-ele disse antes de o portão fechar.

Segundos depois um vento soprou e Denise sentiu dentro de si que ela havia chegado.Virou-se,ela estava a apenas alguns metros segurava o corpo de Darlan em uma de suas mãos,o fundo era composto de várias crateras,pedaços de armadura soltas no chão e o céu era negro.Ela o arremessou para o lado,não tinha virado pó como os outros por algum motivo e respirava levemente.``Mono´´ levantou a cabeça e encarou Denise com ambos os olhos por vários segundos antes de desaparecer num piscar de olhos.A luz começou a se apagar e logo a visão desapareceu,a pedra de detecção de lagartos perdendo o brilho conforme a luz se apagava.No fundo agora só restava centenas de pontos pretos espalhados que cobriam toda a superfície.O ceifador olhou sombrio para o objeto em sua mão.

D.Yuri:Parece que não vai ser útil para mim afinal-Danilo jogou o artefato no meio do coliseu..

O lagarto de pedra caiu num amontoado de objetos compridos mas pequenos.Danilo passou por baixo da janela com extremo cuidado para não cair,assim que ficou de pé uma figura estava atrás de si.Um coaxar longo foi emitido,o ceifador paralisou por um momento antes de saltar para frente e virar-se com a foice já em punho.Relaxou ao perceber que ela era ``menor´´ mas não abaixou a foice,era Denise,seu olho fixo em seu antigo amigo.

D.Yuri:Dessa vez você quase me assustou-ele abaixou a foice devagar.

D.Yuri:Aproveitando que está aqui...deixa eu ver se entendi direito.Icon e seus amigos destruíram tudo e você odeia eles por causa disso?Mas se ela não é a Mono,quem é?

Denise:Você perto...Verdade...

D.Yuri:Hey...o Icon ainda está vivo?

Denise andou devagar até o lado de Danilo.

Denise:Não pisque...não...tire os...olhos....-ela continuou a andar.

D.Yuri:Espera,você ainda não disse quem...já foi...-o ceifador abaixou os braços desanimado quando ela desapareceu.

O lugar escureceu até ficar um negro completo,tirando sua lanterna do bolso do manto D.Yuri apontou o flash de luz ao redor.Ele continuava no coliseu,mas o corredor à sua frente era largo suficiente para três pessoas andarem lado a lado e emitia uma brisa fria de gelar a espinha.O ceifador suspirou e entrou no corredor com passos firmes,a luz da lanterna balançando significativamente a cada passo. Depois de vários minutos Danilo continuava a andar no que parecia ser um caminho sem fim.Então como que para mostrar algum sinal de vida passos apressados foram ouvidos,o ceifador parou no mesmo instante e segurou sua foice com sua mão livre.Os passos continuaram por mais alguns segundos,mas não havia sinal de...um vulto pequeno correu na direção de Danilo,era Margarete.

D.Yuri:Margarete?

Margarete:Af..uf...ainda bem que achei você!

D.Yuri:O que aconteceu?-ele guardou a foice mas manteve a luz no corredor.

Margarete:Ela!Achei que mamãe tivesse voltado.Mas não era ela,parece um fantasma!

D.Yuri:Fale mais baixo!-ele murmurou.

Margarete:Tá bom...

D.Yuri:Me conte o que aconteceu.

Margarete:Eu estava vindo pra cá,aí vi a mamãe andando até a entrada da caverna.Só que quando ela viro,não era ela!Com certeza não era ela!-ela contou em voz baixa mas o desespero era evidente em sua voz.

D.Yuri:Ela não te seguiu?

Margarete:Corri pra cá,ela tava bem atrás de mim,mas toda vez que eu virava e olhava pra ela ela tava parada...

D.Yuri esfregou o queixo pensativo,Margarete podia muito bem estar mentindo e tentando pregar uma pegadinha.Mas lembrou que ela havia mesmo apagado suas pegadas,portanto até agora era tinha sido confiável,no entanto nunca se sabe.Então pensou no fato dela ser a filha da Mono,portanto se ela estava dizendo a verdade não havia dúvidas de que o que o estava seguindo não era a mulher branca e sorridente que era conhecida por todos.Imaginou que talvez Icon tivesse visto mesmo algum filme de terror e estava confundindo as coisas.

Margarete:O que tá esperando?Vamos nos esconder aqui.

D.Yuri:O quê?Não.Lição número 22 sobre sobrevivência paranormal.Se ele se teletransporta,não é desse mundo e quer te matar,não adianta se esconder que ele vai te achar.

Margarete:Então quê é que fazemos?

D.Yuri:Temos mais chances se sairmos daqui,ou seja...ir para frente.

Margarete:Mas ela tá bem perto!

D.Yuri:Não temos outra esco...-o olhar de D.Yuri ficou focado na figura a sua frente..

A assombração estava bem ao fundo do corredor,a luz da lanterna mal iluminando seu corpo,parada no meio do corredor e bloqueando a saída.Ao ver a alta figura Margarete correu e ficou atrás do ceifador e fechou os olhos,ela podia ser uma menina traiçoeira e que adorava deixar os outros em má situação,mas isto não queria dizer que ela não continuava a ser uma criança.D.Yuri teve de piscar mas se arrependeu profundamente,a figura estava agora na metade do caminho,mas voltou a ficar imóvel assim que Danilo abriu os olhos.

D.Yuri:``Em um piscar de olhos...maldição!´´-ele praguejou.

D.Yuri:Margarete,abra seus olhos...-o ceifador continuou a focar seu olhar na assombração.

Margarete:Não!-ela disse de olhos fechados e balançando a cabeça.

D.Yuri:Abra seus olhos e olhe para ela...ela não vai se mover se fazer isso.

Margarete:Não!

D.Yuri:Você quer morr...ah droga esquece.Meus olhos já estão ardendo-o ceifador disse com olhos vermelhos.

Segundos depois ele piscou novamente,agora ela estava a apenas dois metros de distância.O ceifador engoliu a saliva ao ver de perto a figura,os cabelos cobrindo totalmente sua face,os ombros caídos e o vestido com alguns riscos que foram formados por gotas de sangue.Margarete finalmente criou coragem e abriu os olhos devagar,deparou-se com um dos olhos da assombração fixo nos seus.D.Yuri percebeu que quando Margarete abriu os olhos ela levantou um pouco a coluna para que seu olho se tornasse visível.Enquanto isso Margarete estava paralisada de medo mas continuava a manter os olhos abertos,o ceifador aproveitou a chance para esgueirar-se pelo lado e ficar atrás da alta mulher,mantendo os olhos e a lanterna fixos nela.

D.Yuri:Vem Margarete...

A garota continuava paralisada,o olhar era negro e parecia penetrar a mente de Margarete.D.Yuri andou com cuidado até o lado de Margarete e a puxou pelo braço enquanto ainda olhava para a assombração.

D.Yuri:Vamos...

Infelizmente neste momento Margarete saiu do transe e piscou,o que coincidiu com Danilo piscar no mesmo momento.Ela apareceu com uma das mãos erguidas a poucos centímetros da face de D.Yuri,o coração dele pulsava sem parar e sua língua ficou seca.

D.Yuri:Pelo amor de Deus Margarete...não pisque agora...-o ceifador disse com os dedos tremendo.

Danilo deu um passo para trás,esticou o braço e sentiu a garota ao seu lado.Juntos se espremeram para passar encostados na parede enquanto ainda olhavam para a figura imóvel.Andaram de costas pelo corredor mas sempre que a luz da lanterna não alcançava mais o ``espectro´´ ela teletransportava para mais perto,até onde a luz iluminava o seu rosto.Tudo parecia que ia dar certo quando uma fumaça vermelha semi-transparente começou a se formar no corredor,obstruindo a visão do ceifador.

Margarete:Ela tá vindo!-a menina disse enquanto tossia.

D.Yuri abriu um dos olhos enquanto tossia,ele viu a figura teletransportar-se em um ritmo constante e relativamente veloz em sua direção.Não vendo outra opção ele agarrou a mão da menina e disse:
D.Yuri:Agora nós corremos pois se não não haverá amanhã!

E assim a dupla começou a correr pelo eterno corredor.

(Clareira de Cenobia-C1)

Denise estava sentada no topo do mini templo com um livro de tamanho médio na mão.A capa era nova mas já havia muitas folhas preenchidas.Para poder acompanhar o que as outras pessoas estavam fazendo e para passar o tempo ela tinha pedia para Mono uma versão  provisória do livro de comentários(que era mágico),dessa forma tudo o que as pessoas falavam acabava sendo escrito no livro.A verdade é que o livro de comentários era mantido com a ajuda  dos poderes de Tsuyo,que curiosa como era,desejava saber várias coisas.Claro que até ela achava coisas irrelevante e portanto nem tudo o que era dito nas Forbidden Lands era repassado para o livro.

Ela continuou a ler o crescente número de páginas,ocasionalmente esfregando o dedo na cabeça confusa,havia várias coisas ditas que não faziam o menor sentido para ela,mas que pareciam divertir os outros.Mais uma vez ela desejou que soubesse mais sobre atualidades antes de retomar a leitura.

3 comentários:

Cavaleiro Wander disse...

Fatos:A algum tempo atrás Nomad fez alguns vídeos de especulação sobre colossus betas,ele também verificou qual era a altura máxima que Wander podia pular e sobreviver(se não me engano é 45 metros)

Eu ia retratar D.Yuri como alguém mais exaltado(que levanta a voz etc),mas mudei porque ele é quase tão calmo quanto Denise(no geral).

A ideia de não tirar os olhos(não literalmente) veio de um jogo chamado ``SCP Containment Breach´´.Onde o monstro principal é uma criatura humanoide que parece uma estátua e só se move quando não tem ninguém olhando.Também pode se mover se a pessoa estiver com apenas um dos olhos abertos.

Nesses últimos dois dias o blog teve vários comentários e na maior parte do tempo que Denise estava presente ela disse que não estava entendendo.

Cavaleiro Wander disse...

Votem na enquete abaixo

Hexdrel disse...

Forever a Nomad

O que acha que aconteceu com o Icon?

Visitas ao templo